Posts Tagged ‘gazeta do paraná

22
jun
09

alt – avisos paroquiais

Saudações, ALTianos e ALTianas. Notícias do fronte.

Post rápido para dizer que a seção Edições Anteriores | PDF foi atualizada com a descrição das últimas edições do ALT. Lembrando que na quarta-feira estará disponível para download o caderno de número 70.

ADENDO: Tivemos problemas com nosso e-mail na última semana, então, pedimos desculpas aos que enviaram e-mails e não foram respondidos até agora ou mesmo que tiveram as mensagens devolvidas. O problema está sendo resolvido, mas já podemos recebê-los novamente. Qualquer coisa, entrem em contato pelo nosso telefone: (45) 3218-2543 ou pelos e-mails jullianebrita@gmail.com (Julliane) e naoentreempanico@gmail.com (Anderson).

Bom, por enquanto é isso.

Uma ótima semana

Abraços

Ander

Anúncios
20
maio
09

Avisos paroquiais

Já está disponível na seção de Edições Anteriores a nossa última edição “A cultura da Índia”. Coisa de louco, vale a pena baixar o PDF e conferir. Amanhã mais atualizações aqui do que estamos preparando para domingo. Abraços, Oniodi.

11
maio
09

blogue de cinema do ALT

Saudações, ALTianos e ALTianas. Notícias do fronte.

Post rápido para avisar que o blogue do Núcleo Gazeta ALT de Cinema está atualizado.

Clique no banner do Núcleo no menu ao lado ou acesso pelo link:
http://nucleogazetaaltdecinema.wordpress.com/

Os dois últimos posts são a respeito do mais novo curta-metragem produzido em Cascavel: Operários Notícia. O filme, que faz uma crítica ao jornalista e ao jornalismo ‘acomodado, pode ser assistido na íntegra no blogue. Confira!

Por enquanto é isso. Abraços.

Equipe ALT

09
abr
09

Pela obrigatoriedade do diploma

Uma decisão define rumos para um acontecimento e põem fim a um conflito. Esse é o desejo que jornalistas de todo o País esperam da resolução do STF (Supremo Tribunal Federal), no dia 15 deste mês, sobre a liminar da juíza substituta Carla Rister, da 16ª Vara Cível da Justiça Federal, 3ª Região, em São Paulo, que suspendeu em 2001 a obrigatoriedade da exigência do diploma de curso superior de jornalismo, reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação), para a obtenção do registro profissional. Esperam que a decisão dos ministros seja favorável aos jornalistas, determinando a necessidade do diploma para o exercício da profissão. O Fórum Pela Qualidade do Jornalismo em Cascavel se posiciona ao lado de todos os jornalistas do Brasil que desejam esse reconhecimento ao curso acadêmico que obtiveram na formação. Não somente a obrigatoriedade do curso superior como uma comprovação, mas, sim, uma necessidade para exercer a profissão com conhecimentos teóricos e técnicos, ambos relacionados à ética e disseminados por diversos meios tecnológicos que se inserem em nossa sociedade. Assim como outras entidades, o Fórum se convence que, com a obrigatoriedade do diploma, a mão de obra barata – não educacional – encontrada em estagiários e não profissionais e a luta por salários dignos se solidificariam. Está em jogo o futuro de milhares de profissionais e estudantes de jornalismo que esperam uma resposta consistente na profissão que escolheram. Um futuro apoiado na garantia de direitos que começam com o reconhecimento profissional do diploma.

Oniodi Gregolin

02
abr
09

Dia sem jornalistas

Imaginem a seguinte cena: numa determinada manhã você acorda e liga a TV, para sua surpresa não há nenhum jornalista apresentando nenhum, telejornal. Você toma seu café, sai com o carro e ele está mudo, também no rádio nenhum jornalista está apresentando qualquer programa e não adianta mudar de estação, tudo está assim. Você desce do carro e vai até a banca mais próxima e não há nenhum jornal ou revista daquele dia. Todos os jornalistas desapareceram. O que você faria diante dessa situação? Isso seria positivo para a sociedade? Como você faria para se informar, saber das novidades, dos fatos? Caso a comunicação fosse feita boca-a-boca, correríamos o risco de apenas saber de boatos e mentiras? Qual seria o efeito imediato sobre a economia e a vida pessoal das pessoas? Qual a sensação que geraria de não haver mais informações oficiais? Respondam à vontade! O vídeo acima é uma montagem em favor de um dia sem notícias, vale a pena conferir. Abraços, Oniodi!

01
abr
09

Feliz dia de Loki

Para os ávidos brincalhões do Dia da Mentira houve na mitologia nórdica um primeiro precursor – ao qual atribuem a brincadeira moderna – que levava a cabo as brincadeiras, o truque e as trapaças: o deus Loki. Ele está entre as figuras mais complexas da mitologia nórdica.É uma figura traiçoeira e não se sabe quando se pode confiar nele. Loki é bonito e tem uma aparência amigável, mas uma natureza maligna. Ele é calculista e malicioso, mas também heróico.

Hoje poderíamos brincar com as metirinhas bobas dessa data, mas preferi não. Para não passar a data em branco um vídeo sobre “Um dia sem jornalistas”. Amanhã as atualizações da próxima edição. Boa semana a todos. Oniodi.

31
mar
09

No Dia da mentira: a imprensa na Justiça

por Nelson Varón Cadena

A Justiça escreve certo por linhas tortas. Nenhuma outra data teria sido mais apropriada para o julgamento da Lei de Imprensa e do Decreto que garante a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de jornalista, do que quarta-feira próxima, 1º de abril, que vêm a ser o Dia da Mentira. Sem dúvida uma grande coincidência que a pauta do STF tenha contemplado a referida data, e se acreditarmos que isso não foi proposital e não deve ter sido, assimilemos-lhe a simbologia, quarta-feira a justiça decidir a validade de uma legislação de mentirinha; a primeira revogada na prática pela Constituição de 1988, a segunda marcada pela pecha de não ter sido sancionada pelo Congresso, ou pelo Presidente da República.

(…)

O desfecho da história

Qualquer que seja o desfecho em torno das duas questões postas pelo PDT e Ministério Público, respectivamente, através de interpelação ao STF, quarta feira próxima, fica para nós a lição da história. Construímos em torno da ilegalidade argumentos em defesa do diploma, empurramos com a barriga a questão, perdemos quarenta anos, ou vinte e quatro a contar da democratização do país, em lobbys e firulas.

Poderíamos ter feito um Projeto de Lei em torno da questão e legitimá-lo no Congresso com a posterior sanção do Presidente da República, mas preferimos regar a árvore, nascida da semente plantada num canteiro de exceção do arbítrio. Hoje olhamos dentro para constatar o obvio: o cupim deu conta dela.

Complementando o assunto, acima um vídeo do programa Rede Mídia sobre a obrigatoriedade do diploma. O objetivo do programa Rede Mídia é ser um fórum de debates sobre todas as nuances e formatos da comunicação. O programa é semanal, com duração de 30 minutos, ancorado pelo jornalista José Eduardo Gonçalves, e com a participação de convidados a cada edição. Boa semana, Oniodi.




Feed do ALT

Twitter

Pub


Outra Pauta


Firefox 3